Eu e a programação – código-bude.net

Eu e a programação O seguinte artigo é minha contribuição para meu primeiro desfile do próprio blog, que é executado sob o título “E programação”. Como um iniciador, eu seria naturalmente modelados e apresentando-se com este artigo. Espero que alguns de vocês participarem no Carnaval e dobra. Obter mais informações sobre o desfile de blog podem ser encontradas aqui.

Assim que cheguei a programação

Programação (ou devo dizer melhores scripts) emprega-me metade da minha vida agora. Tudo para 2002 foi iniciado. Tão boas 3 anos antes que o YouTube foi introduzido na Internet e eu surfei por 56o modem. Na época eu tinha 12 anos de idade e começou a “construir” a minha primeira homepage. Desde que eu não tinha nenhum desejo de construir caixas e meus pais pensaram assim comigo… eles me mandaram um curso de HTML em VHS local (Volkshochschule).

Inspirado pelo novo conhecimento, criei minha primeira homepage. Com piadas, piscando GIFs e marquise rolagem marquises. Segure que tudo naquela época era necessário para uma página inicial decente. Acessível, a página sobre o domínio original era www.raffiausgoslar.de.vu que secretamente me arrependo hoje porque tenho banido o nome nick ainda não completamente fora de todos os serviços on-line. Este marco na história do HTML em um webspace gratuito da AOL – cidade natal de AOL chamado estava hospedado.

Desde aquela época, não era mais frear meu interesse em computadores e além de tocar todas as partes do “need for speed”-série de jogos de corrida mais cresceu o desejo de criar seus próprios programas de computador. Leia-se extensivamente na Internet, entrou em horas livres na biblioteca da escola e trabalhou em grandes intervalos na minha página inicial. Entretanto eu me ensinou o básico em PHP (meu) SQL e JavaScript. No entanto, eu queria mais. Eu queria escrever programas de computador “correto”, não há páginas de Internet. Mais algumas menores em lotes e scripts VBS no entanto não foram concluídas. A abordagem foi só falta de mim e eu não sabia como e onde eu deveria começar. Para resolver esse problema, eu escolhi classe em 10 a. dez trainee em uma empresa de software.

Neste estágio, você me ensinou o básico da programação em c# e me ofereceu ao final do estágio, além da escola continuar a aprender e trabalhar para descartar, que aceitei com gratidão.

No meu tempo livre, eu aprendi c# duro e programado tudo que veio à minha mente. Enquanto eu certamente não só novos inventou a roda. Jogos de computador foram substituídos por ambientes de desenvolvimento e programação tem sido a minha paixão.

Depois de 3 anos, deixou a empresa de software 2011, desde que eu tinha feito meu Abitur, mudou-se da resina na área de Ruhr e começou um curso duplo de estudo. 2013 eu completei minha formação como especialista em desenvolvimento de aplicativos e na próxima primavera espero que minha despedida de solteiro de informática empresarial.

Tanto para o meu modo de programação. A alegria de toda a história é preservada-me. Apenas o lazer ainda é um pouco escassa raros, então para passatempo projectos é o tempo já não tanto como alguns anos atrás.

Precisa-se de que linguagens e frameworks-?

Entretanto, eu executei projetos em alguns idiomas. E ainda afirmo que, se você entender o básico, a maioria das línguas são apenas uma questão de “vocabulário”. Começa então, não todas as vezes, quando você aprende uma nova língua. O mais importante é o exercício e a escrita regular, caso contrário você vai esquecer os comandos de “vocabulário” ergo novamente.

Eu sou o mais forte ainda em c# .NET. Java, HTML, CSS, JavaScript (jQuery), (AngularJS), (NodeJS), T-SQL, MySQL e PHP me mas também bem além do dedo. Um pouco menos frequentemente que tive contato com línguas seguintes: ABAP, Perl, VBA, VBS, lote, bash script, C, C++.

Eu gostaria de aprender ainda: dardo, GO, f #, Python e Ruby. No entanto, como é o caso com os projetos de passatempo – falta-lhe o tempo. Além disso, gostaria de experimentar como o um ou outro framework PHP e JS e aprender. Mas aqui também, estou restrito pela capacidade limitada de lazer.

Programação como uma disciplina obrigatória?

Uma pergunta do questionário da amostra para o carnaval é se a programação deve ser uma disciplina obrigatória de abrir ainda – e aqueles. Deliberadamente fiz essa pergunta porque eu esperava que ela irá polarizar e talvez ir o um ou outro estimulante discussão, que todos podem se beneficiar de nosso.

Minha posição sobre esta questão é a seguinte. Considero uma escola particular, sujeito a exagerada, mas a programação deve ser uma parte garantida do ensino de ciência de computador e este por sua vez deve ser obrigatório. Quando eu falo sobre programação na escola, quero dizer não só aprender a sintaxe de uma linguagem, mas também o ensino dos princípios e conceitos que estão por trás de um desenvolvimento de software moderno. Só a “cobertura” é aprender idiomas de um (ou vários).

I estabelecer meu depoimento pessoal (ou pelo menos acessar a um) pelo fato de que hoje em quase todos os trabalhos é necessário um computador, quase todos os alunos têm computadores e ainda a maioria da escola vem e não muito mais do que o “surf e bate-papo” podem. Conhecimentos de informática são mais importantes que o conhecimento dos compositores do dia 17 no mundo do trabalho em meu século de opinião e ainda obter a maioria dos alunos com um conhecimento melhor em música como em ciência da computação da escola.

Outro argumento para meu ponto de vista é o fato de que cada vez mais produtos “transplantaram” get – mais e mais itens em nossas vidas diárias são controladas pelo software de um processador. Acho que é importante conhecer as ferramentas ou o ofício que impulsiona tanto do nosso mundo, pelo menos no largo. (Mesmo, ou especialmente se depois não os desenvolvedores de software.)

E a sua programação?

E agora dou a palavra a você. Como é a programação. Amor ou ódio? Paixão ou tortura? Se você tem um blog, só participar no desfile meu blog. Caso contrário, eu sou suas respostas para ler opiniões e pontos de vista nos comentários deste e do artigo sobre o desfile de blog mas também satisfeito.

Sobre o autor: Este artigo, bem como 363 outros artigos sobre código-bude.net, escrito por Raphael. -Desde 2011 blog aqui sobre programação, meu software, escrever tutoriais e tentar o meu conhecimento, portanto ele vai bem, para compartilhar com meus leitores. Além disso, escrevo sobre temas de meus estudos sobre derwirtschaftsinformatiker.de. E-mail • Google + • Facebook • Twitter

5SHARESFacebookTwitterGoogleWhatsappRedditPocketStumbleuponPinterestXingMail